Gestor cultural

O que faz um gestor cultural?

Nos últimos anos, a economia cultural vem crescendo quase que em paralelo aos avanços tecnológicos. Neste contexto, as artes e a cultura vêm se evidenciando como alternativas de diversão e lazer.

Temos presenciado um aumento do número de museus, teatros, cinemas, locais para espetáculos e apresentações artísticas, bem como um aumento da quantidade de eventos artísticos e culturais.

Consequentemente, com isso surgiram novos personagens para compor as categorias profissionais do campo da cultura, um deles sendo o gestor cultural.

Os gestores são essenciais a qualquer organização cultural que deseja ser dinâmica, organizada e bem-sucedida.

Entretanto, apesar de nos últimos tempos o termo gestor cultural vir sendo falado com mais frequência, é muito comum que as pessoas não a conheçam, por se tratar de uma área de atuação ainda relativamente muito recente.

Então, se você quer saber o que faz um gestor cultural, continue lendo esse artigo para descobrir.

O que é gestão cultural?

A gestão cultural é uma atividade profissional recente dentro da área da gestão, mas basicamente se trata de um modo de administração voltada à cultura.

Ela surgiu a partir da necessidade de se organizar e haver uma profissionalização do setor, pois a indústria cultural, a princípio, havia nascido da lógica “informal”.

Leia Também: O que é inclusão cultural?

Arte e cultura são feitas, mantidas e promovidas por grupos informais e/ou órgãos públicos, portanto, o bem cultural exige uma postura de gestão diferenciada na medida em que seu valor não está em si mesmo.

Por isso, após lidar com tantos imprevistos e terem que se adaptar rapidamente por sobrevivência, as instituições culturais perceberam que era dada a hora de se começarem a se estruturar para enfrentar com mais determinação a instabilidade desse mercado.

O que faz um gestor cultural?

Os gestores culturais são aqueles que vão lidar com todos os aspectos de organização.

Além disso, eles são os responsáveis por apresentar ideias de programas para organizações comunitárias, conselhos e comissões para conquistar patrocínios, ou mesmo subsídios e também fontes de financiamento.

Além disso, eles são os responsáveis por apresentar ideias de programas para organizações comunitárias, conselhos e comissões para conquistar patrocínios, ou mesmo subsídios e também fontes de financiamento.

Dentre suas outras tarefas, estão as de publicar materiais informativos como brochuras, pôsteres, boletins ou comunicados à imprensa.

Inclusive, são eles que escolhem artistas visuais, performáticos ou literários para eventos e normalmente colaboram com outras partes interessadas no evento para repassar detalhes importantes.

Atribuições e áreas de atuação de um gestor cultural

Os gestores culturais são profissionais que devem possuir uma formação extremamente ampla e variada, pois precisam ser agentes multidisciplinares para excercer essa profissão.

Para isso, é necessário que conheçam disciplinas diversas como a matemática, o direito, a psicologia, a sociologia, a estatística, as artes, história.

Eles são responsáveis ​​pelas políticas, projetos e programas relacionados às artes e ao patrimônio em uma comunidade.

Além disso, devem buscar problematizar e discutir sobre os aspectos inerentes à política cultural pública e privada; aprimorar os conhecimentos referentes às diversas formas de manifestações artísticas, atentando-se para as novas tendências.

Leita Também: Como funciona a Lei Aldir Blanc

É esperado também que o gestor cultural seja dotado de uma sensibilidade artística, enquanto estabelece diálogo entre o universo artístico-cultural, o poder público, o meio organizacional e a sociedade civil em geral.

Então a partir disso, passe a identificar interesses comuns em torno de sua cidade ou região, e fornecer oportunidades para grupos e indivíduos tanto a aprenderem quanto celebrarem sua cultura.

Os gerentes culturais também podem ser conhecidos como coordenadores de artes culturais ou gerentes de programas culturais.

Eles podem trabalhar para museus, teatros, galerias, departamentos de assuntos culturais, organizações sem fins lucrativos ou conselhos de artes.

Teatro
As funções de um gestor cultural incluem a administração de pessoal, gestão de orçamento, marketing, captação de recursos, relações financeiras entre outras.

Produtor ou gestor cultural?

Em síntese, o produtor cultural é o responsável por cuidar de todas as etapas de um espetáculo, de uma exposição ou de um evento.

O trabalho dele vai se cruzar com o do gestor cultural, na medida em que precisa estar dialogando o tempo todo com esse profissional, também com o produtor executivo, com a direção, com os artistas e com todos os fornecedores envolvidos.

Já o gestor cultural articula o planejamento, mediação e operacionalização do processo.

Ou seja, é alguém que busca estabelecer com seu objeto e com os sujeitos participantes do processo, relações de compartilhamento de gestão e de responsabilidades.

Dessa forma, seu papel é o de administrar todas etapas iniciais, cuidando dos documentos, das autorizações, dos contratos e dos pagamentos.

Leita Também: Como funciona a Creative Commons

Além disso, é o gestor cultural quem vai conversar com todos os envolvidos, desde fornecedores, a artistas e patrocinadores, para que todos tenham os documentos necessários assinados, e que portanto, possam assumir as responsabilidades determinadas para realização do projeto.

Conclusão

O setor cultural exige preparo de profissionais que vão lidar com as questões de gestão envolvendo a área.

Portanto, os gestores culturais devem estar em constante desenvolvimento, para assim conseguirem enfrentar os desafios relacionados aos bens culturais, do mercado cultural e da gestão das artes.

Tendo em vista os avanços tecnológicos cada vez mais presentes em nosso cotidiano, o campo de atuação do gestor cultural deve ser cada vez mais presente e comum.

Por isso, saber suas características é tão importante, para que cada vez mais haja um interesse e busca por oportunidades. Assim, essa área será mais valorizada na gestão das instituições culturais.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *